sábado, 20 de janeiro de 2018

"The Good Tarot": unboxing e comentário


Logo nas primeiras páginas do livreto-manual que acompanha este deck, sua autora, Colette Baron-Reid avisa que o nome ("The Good Tarot") define o que ela pretendia que essas cartas fossem: lâminas que comunicassem aspectos positivos da Vida.
A partir dessa explicação básica, mas bastante necessária para se compreender bem as imagens que, em sua imensa maioria, têm um aspecto delicado, feminino, de sonho. Os aspectos negativos, os menos favoráveis, não são ilustrados, apesar dela mesma dizer, ainda no manual, que eles existem sim, mas que ela queria (apoiada por um guia espiritual) criar um deck de servisse de apoio, que fosse um estímulo positivo, a todos que precisassem ser encorajados. As imagens, não se pode negar, são belíssimas.
A técnica de ilustração é da mais alta qualidade e as cores são encantadoras. Os Arcanos Maiores ainda mantêm alguma distante semelhança com os demais "clones" do Rider-Waite-Smith, mas é nos Arcanos Menores que percebemos que estamos frente a frente com imagens bastante diferentes daquelas que estamos acostumados atribuir às cartas dos naipes.
A qualidade gráfica é excelente, apesar das cartas, em minha opinião, serem muito brilhantes. Eu penso que um acabamento fosco ou semi brilho facilitam a leitura e tornam as cartas mais agradáveis ao toque, facilitando a manipulação das mesmas. A caixa-estojo que acompanha é, também, muito bem feita e resistente, o que sempre é muito bom pois sabemos que as cartas, guardadas nela, irão ter uma vida útil mais longa.
Eu não aconselharia esse deck para quem está se iniciando nos estudos cartomânticos, visto que ele não se identifica, a não ser pelo número de cartas e a divisão dos naipes, exatamente com os símbolos e signos comumente usados nas cartas de Tarot. Naturalmente, um cartomante mais experiente, ou mesmo um cartomante intuitivo (que não se atém à técnica do sistema) não encontrarão grandes dificuldades no uso desse deck para as suas leituras. Penso que essas imagens podem ser bastante interessantes se usadas para meditação e/ou contemplação.

Nome: THE GOOD TAROT
Autora: Colette Baron-Reid
Adquirido no site da Amazon (www.amazon.com)

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Carta da Semana: o Imperador (de 14 a 20 de Janeiro de 2018)



Carta da Semana de 14 a 20 de janeiro de 2018: o Imperador


Baralho utilizado: "ViceVersa Tarot", da editora Lo Scarabeo



Instagram: @alextarologo
Twitter: @alextarologo
Facebook: /alextarologo
Periscope: @alextarologo
Snapchat: @alextarologo

domingo, 7 de janeiro de 2018

"Elipse Lenormand" e "Cadernos de Exercícios Lenormand": unboxing e comentário


Como talento desconhece idade, aos 15 anos Laura Cristina Souza criou as ilustrações desse deck de Lenormand que recebi como um presente de sua mãe, a cartomante e criadora de inspirados decks e outros excelentes materiais para o aprendizado desse sistema oracular.
Laura Cristina faz sua estreia como ilustradora de forma prodigiosa pois reúne técnica e inspiração, na mesma medida, atingindo um equilibrado e coerente resultado gráfico em suas cartas.
Percebe-se de imediato que a jovem artista tem uma predileção especial e muito bom gosto no uso das cores que, apesar de intensas, definem bem as formas que preenchem ou sugerem e adicionam uma especial vibração às cartas.
De Karla Souza, sua mãe, recebo um fantástico e imprescindível Caderno de Exercícios chamado "As Cartas do Dia". Confesso ser um comprador impulsivo de produtos com a mesma finalidade (o registro diário da Carta do Dia) mas sempre tendo que importa-los pois nunca encontrei um objeto "diário" semelhante em meu próprio país. O que eu posso dizer a respeito de mais esse volume da Coleção Diário Lenormand? Afirmo, sem medo de errar e com enorme orgulho patriótico que nunca, jamais, em muitos anos que adquiro no exterior esse tipo de livro de registros das minhas tiragens diárias, nunca vi nada semelhante a esse, criado por Karla.
São 393 (!!!) páginas e mais 2 de adesivos para serem utilizados no preenchimento, feito pelo leitor, complementando suas anotações diárias. Entusiasmo é pouco para definir a minha opinião sobre esse verdadeiro caderno de anotações das minha tiragens diárias. E não pensem que Karla limitou-se a apenas uma linha de trabalho (como os autores e criadores estrangeiros) mas expandiu de tal forma essa, digamos, agenda de estudos, para outros níveis onde o estudante de Lenormand ou o cartomante muito experiente, poderão anotar ideias, inspirações, colorir, desenhar, fazer colagens, guardar comentários, resultados, palavras-chave, e tudo o mais que desejarem.
Não se esqueçam que Karla Souza é uma das mais respeitadas professoras de Lenormand que temos e que, portanto, esse volume da sua Coleção Diário Lenormand é didaticamente pensada para nos fazer descobrir ou redescobrir o prazer pelo estudo teórico e pelo exercício prático do sistema Petit Lenormand. É um livro que, além de inspirar com textos e sugestões, ele convida, da forma mais simpática e amistosa, que exploremos a "gramática" desse sistema.
Quero registrar que também recebi mais 2 mini-decks, um do meu muito amado "Esmeralda Lenormand", que me foi imediatamente "surrupiado" por uma querida amiga e respeitada cartomante norte-americana que me visitava na ocasião da entrega feita pelos Correios. Ficou absolutamente encantada as cartas do Esmeralda. Eu entendo perfeitamente a reação dela, pois eu tenho 2 decks desse baralho e cuido deles com muito carinho.
O segundo mini-deck é uma reprodução histórica das cartas que constituem um antigo jogo divinatório chamado "The Game of Hope", o Jogo da Esperança. É considerado pelos estudiosos na origem dos sistemas cartomânticos como "O Lenormand Primal", ou seja, o original que deu origem, ou evoluiu, para o baralho Lenormand tal e qual o conhecemos hoje.
E se vocês pensam que o festival de presentes que o Correio entregou acaba aqui acabou, devo dizer que uma caneta esferográfica personalizada e com tinta exatamente no tom do Caderno de Exercícios "As Cartas do Dia", além de um carinhoso cartão desejando felicidades pelo ano novo, também estavam incluídos.
Vou terminar esse texto pois não vejo a hora de ler, com calma, todo o Caderno de Exercícios e, naturalmente, sob a orientação da mestra Karla Souza, começar a praticar.
Há coisa mais estimulante do que caderno novo, caneta nova aguardando para colocarmos nossas experiências, descobertas, opiniões, comentários?

Adquiram os seus visitando www.falandolenormandes.com.br

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Carta do Dia do Tarot: a Roda da Fortuna


Deck: "Golden Wirth Tarot" (Lo Scarabeo) adquirido na simbolika.com.br

sábado, 30 de dezembro de 2017

"1889 Lenormand Oracle": unboxing e comentário


Jennifer Sager é a autora desse deck do sistema Petit Lenormand que se chama "1889 LENORMAND ORACLE.
O compromisso com a qualidade do deck é notado desde o momento em que se pega na caixa de papelão, tipo envelope, que contém as cartas: ela é trabalhada, por dentro e por fora, com imagens e aplicação de detalhes em verniz. Tudo muito bonito.
O livrinho que acompanha é diferente da imensa maioria pois, apesar de ter o mesmo tamanho das cartas (poker), é feito com grande esmero, com muita informação e num bom material.
As 36 cartas (sim, este é um deck bem tradicional e que não traz cartas extras) são impressas em papel de alta gramatura, com acabamento acetinado tendendo ao fosco. Traz, junto às imagens, a correspondente carta de naipe e o numeral que designa a carta. Não há palavras escritas descrevendo a carta ou sua imagem. As bordas são arredondadas e douradas (não é folheação a ouro, mas simples tinta dourada)
Meu deck venho acompanhado de um pequeno "certificado" que garante ser o deck de número 431 de uma tiragem limitada de 1.000 baralhos.
Nome: "1889 LENORMAND ORACLE 
Autora: Jennifer Sager
Editora: For the Seekers / impresso na China
Adquirido no site: www.fortheseekers.com