segunda-feira, 12 de abril de 2010

Carta do Dia: RAINHA DE PAUS

Título Rainha dos Tronos de Chamas
Elemento Água do Fogo
Tetragramaton He (responde e apóia a energia de Yod)
Nome Divino  Yahveh Elohim
Mundo Cabalístico Beriah (mundo da criação)
Sephirah Binah (compreensão; princípio primal feminino)
Correspondência Astrológica Áries
Planeta  Saturno
 
     Wands13 (2) A Rainha de Paus é o arquétipo da “musa inspiradora”, o que na antiga Grécia era chamado de “hetera”, ou seja, cortesãs com uma educação elevada que não eram identificadas com os ideais de modéstia, recato e serviços domésticos das mulheres da época e com que os clientes mantinham ligações às vezes bastante duradouras. Além de serem consideradas como objetos eróticos, ofereciam a seus clientes a oportunidade de conversarem em um nível cultural mais elevado.
     A história é muitas vezes escritas através dessas mulheres fortes, independentes, habilidosas e requintadas. Georges Sand inspirou as belíssimas composições de Chopin. Catherine Deneuve foi durante muitas coleções a última grande inspiração do gênio da costura Yves Saint Laurent. Maria Dorotéia Joaquina de Seixas - sob o nome pastoril de Marília – foi a grande inspiração para os líricos poemas de Thomás Antonio Gonzaga, o Dirceu. Gala, impulsiva e rompedora de tabus, figura num sem-número de obras de Salvador Dali, seu devotado esposo que, aliás, faz uso da talvez mais famosa Rainha da Corte de França, a austríaca Marie Antoinette, para ilustrar a carta que uso nesta postagem.  Marie Antoinette ditou moda, revolucionou costumes, criou tendências, influenciou decisões de Estado, tinha uma vida sexual bastante variada e foi forte o suficiente para impor-se, como estrangeira, perante a mais exigente e sofisticada corte da sua época. Foi modelo para os mais talentosos artistas de seu tempo e até hoje é citada como uma verdadeira mártir da revolução que ela mesma, com suas concessões e extravagâncias, ajudou a desencadear. Já à nossa irreverente Leila Diniz coube-lhe o papel de musa do embrionário movimento chamado Cinema Novo que revolucionou a estética da 7ª arte brasileira e a própria Leila pôs abaixo velhos preconceitos, possibilitando que mais mulheres se identificassem com ela e com suas ousadas, porém conscientemente assumidas, atitudes. Todas elas mulheres consideradas “fortes”, isto é, com hábitos, ações e comportamentos de características masculinas. Todas elas empenhadas em desenvolver suas individualidades, de tal forma que fossem reconhecidas fora dos ditames de uma sociedade hipocritamente moralista e eminentemente patriarcal.
     Dona de uma grande energia sexual (e portanto criadora), a Rainha de Paus ao contrário de seu, muitas vezes, impaciente e ansioso consorte, tem as suas qualidades receptivas (yin) canalizadas para o sentimento de compreensão. As pessoas, mulheres ou homens que se identificam com os aspectos que essa Rainha simboliza, irradiam energia criativa, e verdadeiramente “brilham” e iluminam qualquer ambiente com suas esfuziantes personalidades . Além de ser uma eficiente, organizada dona de casa, ainda arranja tempo e disposição para ser uma profissional atuante, buscando realizar seus interesses e sonhos. Num aspecto positivo, ela é alguém que sabe exatamente o que quer e procura realizar suas conquistas através de ações onde a sinceridade e o envolvimento são suas maiores qualidades.
     O naipe de Paus também se traduz pela necessidade de se destacar e a Rainha de Paus sabe muito bem como conseguir essa desejada atenção. Sua tendência a se envolver e sua personalidade naturalmente ativa frequentemente resultam num fogoso entusiasmo, o qual ela é matura o suficiente para manter controlado. Sua presença é garantia de um poderoso aditivo à ação. Com ela tudo é possível e ela busca o poder. É a mais poderosa de todas as Rainhas do Tarot em sua explosiva energia criativa e também sexual. Muitas vezes ela pode ferir suscetibilidades e alguns egos, pois em sua frenética e concentrada atividade costuma “atropelar” alguém.
     Ela é uma verdadeira amazona, uma guerreira sempre pronta a defender seus interesses e território. Jamais aceita qualquer forma de restrição baseada em conceitos tais como “isso não fica bem”, “uma mulher não se comporta assim”, “não pode fazer isso por ser mulher”.  Jamais irá aceitar passivamente determinadas restrições apenas por ter uma energia feminina, mas até mesmo para aqueles que ela desgosta, é capaz de ser calorosa. A Rainha de Paus é a própria autoconfiança. Sempre em busca das suas verdades, é autônoma , perfeccionista e exigente consigo mesma, empreendedora , visionária e segue sempre adiante, rapidamente.
     A saída de uma Rainha de Paus numa tiragem de tarot, dependendo sempre das demais cartas que a acompanham e sobretudo de como ela será interpretada (como características ou situações vividas pelo Consulente, ou como uma pessoa que lhe é importante no momento atual e no desenvolvimento da ação), pode simbolizar alguém solidamente assentado no mundo real e apaixonado pela vida. Sucesso nos negócios e através de investimentos criativos. Alguém que está no controle de sua própria vida, que é capaz e autoritária, porém generosa e otimista, forte e estável, leal e trabalhadora, organizada e versátil. É um alerta para nos envolvermos criativa e apaixonadamente com os nossos objetivos e metas, sem ficarmos nos prendendo a nada.
     Em seus aspectos mais difíceis, esta carta pode estar querendo nos dizer que devemos procurar reconciliar opostos (água + fogo) e, se o fizermos à perfeição, sentiremos um poder enorme. Afinal não é tão simples transformarmos a vontade nos utilizando das emoções. Pode ser também, que localizado como obstáculo esse Arcano Menor esteja nos avisando de que estamos sendo dominadores em excesso, manipulando os outros de forma abusiva, insanamente ciumentos, ou que estejamos sendo vítimas de alguém assim. Em seu aspecto “sombra”, é uma grande chantagista emocional e uma fofoqueira inveterada. obstinada e vingativa. Melodramática, quer que as pessoas sejam dependentes dela para poder dominá-las, mas quando a situação demonstra não conter nada que lhe possa ser útil, abandona a tudo e a todos e parte para outras conquistas.
     A Rainha de Paus pode ser um excelente prenúncio, nesta segunda-feira, de uma semana  regida por uma paixão enorme pela vida e por tudo o que ela pode nos oferecer. É um convite para que repartamos as bênçãos de amor com os nossos irmãos e que nos permitamos dar forma aos nossos sonhos mais criativos. É um bom convite para meditarmos sobre o quanto de paixão encontramos em nosso viver e como podemos ampliar esse sentimento.
     Tenham todos um muito otimista início de semana!
    
Ilustração: Tarot de Dali

6 comentários:

  1. Tirei a carta aleatoriamente... Meu baralho é o de Waite, ele tem simbolismos interessantes, um gato preto, girassóis, o trono com leões, tanto no espaldar quanto no apoio dos braços. Gostaria de maiores esclarecimentos sobre os arquétipos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo-lhe que adquira um bom livro de Tarot, pois é muito importante para todos nós que apreciamos a Cartomancia, adquirir um conhecimento técnico, histórico, mitológico, simbólico sobre todas as cartas e o sistema desse oráculo.
      Tomo, então, a liberdade de recomendar-lhe que assista a um dos vídeos do meu canal no YouTube e que é, especificamente, sobre livros nacionais de Tarot. Estou certo que com esse material e contando com seu interesse e dedicação ao estudo de cada lâmina desse oráculo, muito em breve você não terá mais dúvidas sobre os arquétipos, suas representações e significados.
      Desejo-lhe boa sorte nos estudos!

      Excluir
  2. Olá, muito bom o seu artigo. Em uma tiragem de três cartas, tirei valete de copas invertido, rainha de paus invertida e o mundo. Mas não sei interpretar, não sei se a rainha se refere a mim ou a pessoa em questão (que é um homem)?

    ResponderExcluir

Agradeço o seu comentário.
Em breve ele deverá ser exibido no Blog.
Namastê!