sábado, 6 de março de 2010

Carta do Dia: REI DE OUROS

Elemento Terra  (fogo, terra)
Signo Touro
Planeta Vênus em Touro
Temperamento Bilioso-Melancólico  (bile preta)
Nome Esotérico Senhor das Terras Férteis e Incultas
Alquimia Sal,  o Sal da Terra, o princípio materno
Tetragramaton YOD,  energia instigante
Cabala Chokmah (sabedoria) em Atziluth (emanação)
I Ching Ken,   quietude, silêncio interior, imobilidade
Arquétipo Afro Oxum: divindade da terra
Fase da Vida Velhice
Dia da Semana Sábado,  regente Saturno
Fase da Lua Cheia,  em Sagitário
Casa Zodiacal Peixes,  regente Netuno
Ano 2010 (=3),  regente Vênus

    rei de ouros Inicio, neste sábado, a série de Ouros (pentáculos, discos, pedras, moedas, diamante), cujo elemento é a Terra e portanto representam recursos pessoais e a própria essência do nosso ser. Fala-nos das nossas capacidades (ou da ausência delas), do mundo visível e concreto, daquilo que nos faz sentir seguros e em que confiamos e, também, da maneira que podemos ser úteis para os outros e para nós mesmos.
     Esse naipe representa tudo o que nos define da forma e maneira que somos. Pode ser no trabalho, nossos talentos criativos, nossa competência em produzir, nosso propósito de vida, nosso grau de segurança, nossa saúde. Além da pele, dos ossos, da massa corporal que constituem nosso corpo físico, Ouros também relaciona como vemos o mundo exterior a partir do nosso mundo interior, ou seja, se temos ou não uma perspectiva realista de vida. Somos ambiciosos? Estamos conectados com a Natureza? Enfim, as 14 cartas do naipe de Ouros do tarot se referem à maneira como percebemos a realidade que nos cerca.
     Comecemos, então, pelo Rei de Ouros, que como todos os Reis no tarot, eles são relacionados com o elemento Fogo, que é a força motivadora, a paixão, o desejo exaltado em construir e conquistar. Eles, devido à sua posição hierárquica, estão relacionados à carta do Imperador, Arcano Maior IV, e tal e qual ele, são grandes planejadores, motivadores, comandantes e criadores. São aqueles que desafiam a todos a formarem o reino. Por isso mesmo eles, numa leitura, podem indicar uma motivação, um desejo ou o início de um novo projeto, o estruturar de novos negócios, novas idéias em como ganhar dinheiro ou produzir algo.
     Se há uma coisa que devemos nos lembrar quando trabalhamos com os Reis é que, apesar de serem grandes forças impulsionadoras, eles atuam no âmbito da “coroa”, ou seja, da cabeça, no plano mental. Eles podem mover montanhas com seu entusiasmo e energia, mas não conseguem realizar sozinhos. Todos aspiram conquistar situações privilegiadas e poderem contar sempre com a lealdade da família e dos amigos, especialmente.
     Representam, normalmente, pessoas influentes, líderes, pessoas às quais as demais recorrem por conselhos e outras formas de ajuda. Frequentemente são teimosos e absolutamente conscientes de que são donos da verdade.
     Não é diferente com o nosso Rei de Ouros. Pense nele como um velho fazendeiro e que o seu reino seja a sua fazenda, o seu negócio. Orgulhoso e autoconfiante, esse respeitado indivíduo poderá ser um funcionário do governo, um arquiteto, engenheiro, construtor, agricultor e, surpreendentemente, um artista. O que quer que ele seja, estejam certos de que ele trabalhou muito, “suou a camisa” para chegar lá, e, podem apostar: ele não vai abandonar seu cargo, sua posição, tão facilmente.
     Ainda que, por vezes, ele pareça ser frio ou distante, ele também pode ser absolutamente charmosos e engraçado, contando estórias, fazendo piadas, quando com a família e amigos. E, sobretudo, ele é fiel e confiável, gentil e atencioso, sempre pronto para ajudar, sem nunca esperar retribuição. Mas, se em algum momento ele for ajudado por alguém, estejam certos de que ele encontrará, o mais rápido possível, uma forma de retribuir, pois detesta depender dos outros ou, mesmo, ficar devendo. Excelente pai e esposo, vai providenciar para que nada falte para a sua família, sendo-lhes sempre presente, fazendo seu melhor pelo seu conforto e necessidades. Entretanto espera deles o mesmo comportamento responsável, trabalhador e altamente disciplinado. Que ninguém espere dele expansivas demonstrações de afeto. O máximo que pode conseguir é um “bom trabalho!”, “estou muito orgulhoso de você”, “ótimo desempenho, parabéns!”. Afinal, partindo do Rei de Ouros isso é o mais alto elogio que ele pode oferecer.
     Quando essa carta aparece numa jogada de tarot, sempre dependendo da sua posição no esquema e das demais cartas que a cercam, além, evidentemente, da pergunta feita pelo consulente, ela pode indicar, entre outras coisas, que é chegado o tempo de uma notável elevação de status; que é chegada a hora da colheita e que ela será proporcional àquilo que foi plantado; que há grandes possibilidades de evolução na carreira e de aumentos salariais; que uma pessoa influente, provavelmente do sexo oposto, irá ajudá-lo a crescer profissionalmente; que deve manter um senso de praticidade ao lidar com os negócios, ou outras atividades;  tempo de compartilhar sua boa sorte com os demais, pois você pode ser generoso agora; ficar atento para evitar extravagâncias, pois pois poderão representar grandes perdas; cuidado com especulação, com dinheiro aplicado de forma pouco segura. Quando o consulente é casado, esta carta é sinal de que ambos parceiros atravessam uma fase de ótima vibração. Uma outra questão importante a ser considerada é a seguinte: está o consulente disposto a aceitar a prosperidade em sua vida?
     Este arcano, quando representa uma pessoa real não significa que seja homem ou mulher, mas sempre predominará uma atitude masculina na maneira de agir ou se comportar dessa pessoa. E, como não poderia deixar de ser, também um lado “sombra”, negativo, menos otimista que o acima descrito, se revela, quando mal dignificado numa leitura. Ele pode, então estar simbolizando crueldade, rudeza, usura, alguém desafiador, insensível, possessivo, ciumento, intolerante, dogmático, gozador, voluptuoso em excesso. Alguém que não confia nos outros, que é perverso, perigoso, um rancoroso rival, um amante insensível e decepcionante.
     Muitas vezes o mitológico Rei Midass, cuja ambição desmedida o levou a pedir aos deuses o poder de transformar em ouro tudo o que tocasse, é usado como exemplo nas descrições do Rei de Ouros. Na verdade ele é o exemplo do lado “sombra”  desse arquétipo, do conceito errôneo de que dinheiro é bom ou mal, que nos traz, ou não, a felicidade. Ele é mais do que isso, como símbolo: fala do poder que a ganância (que é a ambição fora de controle, exaltada) tem de congelar sentimentos, enrijecer formas de pensar e agir, embrutecer tudo aquilo que vivenciamos como belo e digno.
     Podemos aproveitar, no dia de hoje, para refletirmos como estamos conduzindo os nossos negócios, como estamos tratando o nosso corpo, como estamos nos relacionando com o dinheiro. Vênus e Oxum estão atuando para que tenhamos idéias criativas, voltadas para o belo, para um alto sentido estético. Saturno, nos poda os excessos, nos obrigando a focar em nossas necessidades e favorecendo que façamos investimentos controlados e em aplicações bastante tradicionais. O Sal, como substância alquímica, é um catalisador e portanto favorece as reuniões de trabalho, as formações de grupos de estudo, a seleção de pessoal para execução de um projeto que tenhamos pensado e necessitemos de ajuda para executar.  A Lua está em seu último dia da fase Cheia, excessiva, portanto, aproveite o dia para por em andamento aquilo que deseja realmente concretizar, sempre, naturalmente, usando o bom senso, a razão, a intuição e o entusiasmo em doses equilibradas muito harmoniosamente.
     Tenham todos um excelente, saudável e criativo final de semana!

Um comentário:

  1. Muito bacana o texto, está de parabéns, gostei :)

    Continue...

    ResponderExcluir

Agradeço o seu comentário.
Em breve ele deverá ser exibido no Blog.
Namastê!